Departamento de Engenharia Química Escola Politécnica Universidade de São Paulo

Multiusuário

Equipamentos Multiusuários (EMU)

1.1. Espectrômetro de Massas ESI QqTOF

Este equipamento visa o a identificação de proteínas tanto para amostras mais simples como bandas de gel 1D ou 2D, como para amostras mais complexas, como lisados celulares e o desenvolvimento de métodos por LC-MS/MS para a quantificação de pequenas moléculas

Coordenador: Prof. Dr Claudio Augusto Oller do Nascimento (oller@usp.br)

Pesquisador co-responsável: Dra Maria Anita Mendes

Técnico responsável: Rodrigo Ricardo Ramos (rodrigo.ricardo@usp.br)

Suporte Financeiro: Programa de Equipamentos Multiusuários (EMU) FAPESP

1.2 HPLC – Sistema de cromatografia líquida de alta pressão Shimadzu, do tipo UFLC

Este equipamento visa o fracionamento e a purificação de composto de baixo peso molecular, peptídeos, açucares entre outros.

Coordenador: Prof. Dr Claudio Augusto Oller do Nascimento (oller@usp.br)

Pesquisadores co-responsáveis: Prof. Dr. Antonio Carlos Silva Teixeira (acscteix@usp.br) e Prof. Dr. Reinaldo Giudici (rgiudici@usp.br), Dra Maria Anita Mendes

Técnicos responsáveis: Rodrigo Ricardo Ramos (rodrigo.ricardo@usp.br), Joel Mendes dos Santos

Suporte Financeiro: Programa de Equipamentos Multiusuários (EMU) FAPESP

Política de agendamento

Os futuros usuários deverão acessar este site e preencher o formulário de solicitação de uso do equipamento multiusuário. No campo Mensagem, o usuário deverá explicar qual o motivo da solicitação e qual o objetivo do trabalho a ser executado, detalhando a origem do material.

É relevante que o usuário informe como o material foi obtido/coletado, se o material passou por alguma etapa de preparação [por exemplo, precipitação de proteínas, uso de detergentes, centrifugação, liofilização, etc] e a quantidade disponível para a etapa de purificação, além das prováveis proteínas de interesse a serem purificadas.

Custo por análise, cronograma de atendimento e forma de pagamento: Após a análise do material e as estratégias metodológicas a serem aplicadas, as equipes do solicitante e do PQI em conjunto, solicitarão a compra de reagentes, tais como sais e colunas cromatográficas específicas, para atender as particularidades do desenvolvimento de cada proposta requerida. Assim, a forma de pagamento será constituída da compra de materiais específicos para a execução de cada trabalho. Ao final do projeto, estes materiais permanecerão no Laboratório LSCP. Além disso, poderá ser solicitado a aquisição de peças/conexões/lâmpada UVs, para adequações dos equipamentos, dependendo do tipo de cromatografia líquida e da periodicidade do trabalho a ser executado.

O cronograma de atendimento será desenvolvido conforme a necessidade dos futuros usuários em conjunto com a demanda interna do Laboratório de LSCP, atendendo mensalmente as requisições agendadas.

Plano de Gestão de Uso

Comitê Gestor

O comitê gestor é composto pelos pesquisadores principais do projeto:

Prof. Dr. Claudio Augusto Oller do Nascimento – coordenador
Prof. Dr. Roberto Guardani
Prof. Dr. Reinaldo Giudici
Dra. Maria Anita Mendes

Este comitê fará reuniões frequentes para:
– Manter o registro do uso dos equipamentos. Se for o caso corrigir distorções no uso e acesso conforme solicitado pelo comitê de usuários,
– Garantir que os equipamentos tenham acesso aos demais pesquisadores da comunidade científica,
– Estabelecer critérios e procedimentos para que os equipamentos produzam resultados corretos e confiáveis,
– Estabelecer critérios para se garantir recursos para a manutenção dos equipamentos, estabelecendo, quando necessário normas para a divisão destes custos entre os usuários, e
– Estabelecer critérios para a garantia do pleno funcionamento dos equipamentos durante pelo menos 7 anos.

Comitê de usuários

O comitê de usuários é composto por todos os pesquisadores signatários da proposta. Serão feitas reuniões semestrais deste comitê. Os eventuais usuários nos últimos 12 meses, mesmo que não sejam participantes da proposta inicial, serão convidados para as reuniões.

Cabe ao comitê de usuários:
– Verificar os registros do uso dos equipamentos e fazer sugestões ao comitê gestor,
– Fazer a avaliação contínua do estado dos equipamentos e discutir a coerência e precisão dos resultados, e
– Discutir e apresentar ao comitê gestor as diretrizes para horários e uso dos equipamentos.

Plano de uso

Os equipamentos ficarão locados no Laboratório LSCP do Departamento de Engenharia Química PQI-EPUSP. O laboratório contará com o apoio técnico de um técnico de nível superior e um de nível médio, os quais serão responsáveis por toda a parte operacional e de conservação do equipamento. A supervisão do Laboratório ficará por conta do pesquisador responsável por este projeto, que atualmente é o responsável pelo referido laboratório.

Os técnicos mencionados são funcionários da USP dedicados a estes equipamentos e organizarão o acesso e o uso dos EMU. Todo o treinamento complementar na operação dos equipamentos será feito pelos fornecedores dos equipamentos. Os técnicos têm capacitação para estas funções, bem como, para instruir e acompanhar alunos de Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado.

O laboratório possui infra-estrutura para garantir toda instalação dos equipamentos, tanto do ponto de vista elétrico, hidráulico e as facilidades necessárias. Existe espaço físico suficiente para todos os equipamentos.

Na página do Laboratório estarão disponíveis os componentes da equipe dos EMU, a descrição dos equipamentos, este plano de gestão e as normas de uso definidas pelo comitê gestor e de usuários.


2. Sistema de Microrreação

O Sistema de Microrreação é um sistema para realização de reações químicas e bioquímicas, com controle preciso de temperatura e vazão de reagentes. O heater e o climatizador permitem fixar temperaturas de 20 a 240°C. Devido a suas características fluidodinâmicas, observam-se uma melhor transferência de calor e de massa, baixa relação superfície volume e baixos números de Reynolds (fluxo laminar), o que possibilita o estudo de novas rotas, que não são possíveis em reatores convencionais, como a síntese de compostos orgânicos que envolvam reações rápidas ou que envolvam intensa transferência de calor.

Responsável/Beneficiário: Professor Dr. Ardson dos Santos Vianna Júnior (ardson@usp.br)

Coordenador: Dr. Wagner de Rossi (wderossi@ipen.br)

Técnico responsável: Joel Mendes dos Santos (joel.mendes@usp.br)

Suporte Financeiro: Programa de Equipamentos Multiusuários (EMU) FAPESP

Vinculado ao projeto temático: 2013/261113-6 – “Microusinagem com laser de pulsos ultracurtos aplicada na produção e controle de circuitos optofluídicos”

Modo de operação e de acesso para usuários

O Sistema de Microrreação está apto a desenvolver diversos tipos de experimentos, mediante projeto e condições técnicas a serem combinadas com o coordenador do equipamento. Ele está disponível para todos os pesquisadores de instituições públicas e privadas para, juntamente com o pessoal técnico do Departamento de Engenharia Química (PQI) de Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, realizar experimentos pertinentes às suas características.

Comissão de usuários:

Dr. Patrick Jack Spenser – do Centro de Biociências do IPEN

Dra. Denise Maria Zezell – do Centro de Lasers e Aplicações do IPEN

Dra. Martha Simões Ribeiro – do Centro de Lasers e Aplicações do IPEN

Normas de uso e funcionamento

O acesso aos serviços de Microrreação será garantido a todos os pesquisadores interessados que atendam os seguintes requisitos: apresentar resumo do projeto com objetivos claros da proposta; estar vinculado a instituição pública ou privada com setor dedicado à pesquisa e desenvolvimento, e apresentar pedido formal assinado por representante legal da instituição ou departamento a que pertence.

A prestação dos serviços será cobrada por hora estimada de operação e terá como base de cálculo o valor relativo aos custos de manutenção e de garantia do equipamento.

Os usuários deverão mencionar o apoio da Fapesp através do projeto 2013/261113-6 em todos os trabalhos de divulgação e enviar ao coordenador uma cópia do trabalho publicado.


3. Citômetro de fluxo

Descrição do Equipamento

O equipamento objeto deste plano de gestão e uso compartilhado é o Citômetro de fluxo, que deve ser adquirido no escopo do projeto FAPESP/NERC 2015/50684-9.

Localização

O equipamento será instalado nas dependências do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica da USP.

Comitê Gestor

Será constituído um comitê gestor que regulamentará a utilização do equipamento em sistema multiusuário. Este comitê será composto por três membros, incluindo obrigatoriamente dois Docentes do grupo que participa do projeto FAPESP/NERC 2015/50684-9 durante a sua vigência.

O comitê gestor deverá:

– Estabelecer critérios de uso do equipamento;
– Decidir sobre projetos de interesse maior cujos custos de utilização possam ser subsidiados;
– Supervisionar a garantia de acesso ao equipamento aos pesquisadores dos diversos projetos de pesquisa em andamento vinculados ao projeto FAPESP/NERC, à Escola Politécnica da USP, a outras unidades da USP e a instituições externas à USP, e
– Estabelecer os valores de utilização para os diferentes usuários;
– criar, manter e fiscalizar a estrutura de cobrança pelos serviços do equipamento, através de conta específica em Fundação de Apoio.
– criar, manter a atualizar o programa de treinamento de novos usuários a ser implementado pelo Comitê de Usuários.

Comitê de Usuários

Será constituído um Comitê de Usuários que será responsável pela emissão de pareceres acerca do uso e funcionamento do equipamento em sistema multiusuário da USP. Esse comitê será composto por dois pesquisadores, representantes de potenciais usuários, e pelo Especialista de nível superior do quadro de funcionários do Departamento de Engenharia Química responsável pela supervisão operacional do equipamento. Os membros do Comitê Gestor não poderão integrar o Comitê de Usuários. Este Comitê será renovado a cada dois anos, sendo permitida a recondução. Em caso de vacância, os membros remanescentes deverão eleger um membro substituto para completar o mandato em questão.

Administração Financeira e Manutenção do Equipamento

Os valores cobrados dos usuários serão utilizados integralmente para cobrir os custos de funcionamento pleno do equipamento, incluindo a aquisição de consumíveis eventualmente utilizados.

Será constituído pelo Comitê Gestor um fundo de manutenção e operações do equipamento, cuja função será prover a cobertura para gastos como:

– Material de consumo de uso comum;
– Manutenção preventiva e corretiva;
– Reparos de pequena monta à infraestrutura física, e
– outros itens julgados necessários ao bom funcionamento do equipamento pela Comissão Gestora.

O fundo será constituído pelos pagamentos realizados pelos usuários do equipamento e por serviços executados, conforme valores estabelecidos pelo Comitê Gestor. Esses valores poderão ser diferentes para usuários de diferentes origens, mesmo que para a mesma utilização. As planilhas de custos e as tabelas de valores recolhidos serão elaboradas pelo Comitê Gestor, que apresentará um balancete financeiro anual. O recolhimento destas taxas poderá ser feito por meio da tesouraria ou de fundação a ser especificada pelo Comitê Gestor.

O Comitê gestor aprovará os contratos de serviços com os usuários, delineando direitos e deveres de ambas as partes, a serem firmados pela USP ou pela fundação que vier a gerenciar o fundo.

Durante a vigência do projeto FAPESP/NERC 2015/50684-9 todos os pesquisadores do projeto terão livre acesso ao equipamento para a realização das análises referentes a pesquisas relacionadas.

Normas de Uso do Equipamento

As seguintes normas de utilização se aplicarão a todos os usuários (docentes, pesquisadores, funcionários, pós-doutorandos, pós-graduandos, graduandos e eventuais usuários externos à Universidade) que utilizarem o equipamento. Estas normas estarão disponíveis no site do equipamento.

– O uso do equipamento será feito mediante projetos previamente cadastrados,
– Somente usuários devidamente qualificados no manuseio do equipamento poderão manipulá-lo por conta própria.
– Os usuários que pretendem se qualificar no manuseio do equipamento deverão ser aprovados pelo Comitê Gestor e também no treinamento específico estabelecido pelo Comitê Gestor e executado pelo Comitê de Usuários.
– a utilização do equipamento por usuários qualificados será efetuada por agendamento segundo ordem de solicitação.
– Os usuários serão co-responsáveis pelo equipamento e seus acessórios, de forma que os custos operacionais serão rateados entre os mesmo à base de valor por hora de uso. O pagamento será realizado em conta da tesouraria ou fundação, que será responsável pela emissão do recibo e da nota fiscal, se necessário.
– Para cada usuário será criada uma conta corrente de utilização, sendo que eventuais débitos existentes não poderão subsistir por mais de doze meses. Caso isso se verifique, o acesso do usuário será impedido até a quitação total do débito.
– A distribuição dos usuários será definida pelo Comitê Gestor com base nos objetivos do trabalho. A execução de análises deverá ser acompanhada dos interessados, aluno e/ou orientador.
– Nos trabalhos eventualmente publicados decorrentes da utilização do equipamento deverá ser feita menção ao Departamento de Engenharia Química e à FAPESP, com o número do projeto referente a este equipamento multi-usuário, na seção de agradecimentos.
– O não comparecimento a uma sessão ou seu cancelamento sem aviso prévio feito por escrito com antecedência mínima de 24 horas acarretará na cobrança do valor correspondente à sessão agendada. O Comitê Gestor poderá suspender temporariamente o acesso do usuário faltoso ao equipamento.
– Para o credenciamento dos projetos pelos pesquisadores deverá ser anexada cópia assinada do presente regulamento, manifestando ciência e concordância com os critérios de utilização aqui especificados.
– Eventuais dúvidas a respeito desta norma serão dirimidas pelo Comitê Gestor.